12 maio 2011

As mulheres estressadas de hoje

Outro dia descobri que um número assustador de amigas está tomando remédios para ansiedade, depressão, insônia, etc, etc.

Daí me dei conta de como temos muito mais pressão em nossa vida do que, por exemplo, quando minha mãe tinha 30 anos.

Ela não precisava fazer três pós pra conseguir um bom emprego, não precisava trabalhar 12h por dia pra provar que é boa profissional, que tem ambição e que "veste a camisa" (de força?) da empresa, não precisava ter um corpo anti-naturalmente magro, não precisava criar os filhos segundo as mais recentes descobertas da psicologia, não precisava ser "sarada" e saber mil artimanhas na cama pra agradar o marido, e como a maioria naquela época, ela tinha uma empregada quase da família que cuidava das obrigações domésticas, ela tinha também irmã e/ou mãe que não trabalhavam e davam uma mãozinha com as crianças quando ela precisava, ela tinha um marido que cumpria com a parte dele, seja qual fosse o acordo pré-estabelecido entre eles... O que mais?

Não estou questionando se era mais feliz ou realizada do que nós, hoje, mas certamente não era tão estressada... Que filhos criaremos nessas circunstâncias?

E aí me lembrei da Mari, que parou de trabalhar pra criar sua filha, e de como as mulheres que fazem essa opção ainda são aberta ou veladamente criticadas pelas outras...

(Esse foi um post breve que fiz no Facebook, e minha querida arquiteta assistente me sugeriu colocar aqui.)
Postar um comentário